ANÁLISE HISTOPATOLÓGICA DO PARÊNQUIMA HEPÁTICO DE CAMUNDONGOS SWISS SUBMETIDOS À TERAPÊUTICA EXPERIMENTAL COM AGARICUS BLAZEI

Brunna Emanuella França Rego, Fernando Cezar dos Santos, Deison Soares de Lima

Resumo


O cogumelo Agaricus blazei (A. blazei) denominado
popularmente de cogumelo-do-sol, possui propriedades medicinais,
sendo empregado tradicionalmente na medicina alternativa
para a prevenção do câncer, hiperlipidemia, arteriosclerose,
doenças hepáticas, cardiopatias, diabetes e artrites. Apesar de
ser amplamente utilizado pela população mundial como medicina
alternativa, muito ainda há de se conhecer sobre as ações do
extrato de A. blazei no organismo e seu possível efeito adverso.
Neste contexto, em relato de caso, foi demonstrado que pacientes
que faziam o uso prolongado do A. blazei desenvolveram alterações
nas células hepáticas. Com base nisto, o objetivo deste trabalho foi
avaliar se o tratamento crônico de camundongos com o fungo A.
blazei pode induzir algum efeito hepatotóxico. Foram utilizados 10
camundongos swiss fêmeas. Os animais do grupo teste (Ab) foram
tratados com uma dose oral diária de 0,1 ml a uma concentração
de 110mg/Kg, por um período de sessenta dias. Os animais do
grupo controle foram tratados com solução salina.O resultado da
análise histopatológica demonstrou que não houveram diferenças
na morfologia das células hepáticas entre os grupos Ab e controle,
mantendo-se inalterada a estrutura morfológica do fígado nos
animais que foram tratados com o cogumelo. Portanto, sugere-se
que o extrato aquoso de A. blazei, nas doses utilizadas, não teve
ação tóxica nas células hepáticas.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.