A pedagogia do movimento dos trabalhadores sem terra - MST: atuação dos professores e o processo de ensino-aprendizagem dos jovens e adultos

David Rezende, Fátima Regina Debald

Resumo


Este artigo procura discutir a Pedagogia do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra – MST: A atuação dos professores e o processo de ensino-aprendizagem dos jovens e adultos da EJA (Educação de Jovens e Adultos) desenvolvida no assentamento do município de São Miguel do Iguaçu, escola itinerante que congrega cinco (05) comunidades entre assentados e acampados. São Miguel do Iguaçu, Matelândia, Ramilândia, Diamente do Oeste e Santa Tereza do Oeste, no ano de 2008. Para tanto, entrevistei alunos do Ensino Fundamental, Ensino Médio e os professores que trabalharam com a turma, com exceção de alguns que não se dispuseram a preencher o questionário ou mudaram de cidade. O eixo central do trabalho analisa a pedagogia utilizada na escola, a participação dos alunos, a preparação dos professores e o resultado obtido ao final do curso no sentido da construção do conhecimento e da transformação social. O artigo conclui que a falta de preparação, de vivência e de um projeto que responda às necessidades dos acampados ou assentados, a alternância de professores são as principais razões a prejudicarem a qualidade do ensino.

Palavras-chave


Pedagogia do Movimento dos Trabalhadores Sem terra, Educação de Jovens e Adultos, Transformação Social

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.